Estudo aponta presença cada vez maior de trabalhadores de volta às salas de aula

Com uma demanda cada vez mais exigente do mercado de trabalho, diversos profissionais decidem voltar a estudar para aprimorar o conhecimento em suas áreas específicas.

Isso ajuda o indivíduo a tentar um novo emprego, uma promoção ou, em alguns casos, manter-se no cargo.

33% dos 18 milhões de universitários norte-americanos estão acima dos 25 anos e 22% estão acima dos 30. Nossa pesquisa prevê um crescimento de 20% em novas matrículas de estudantes com mais de 25 anos no intervalo de 2010 a 2020.

Esperam que a educação adicional às ajude a alcançar seus objetivos, como ganhar mais dinheiro, conseguir uma promoção ou até mesmo mudar para uma nova carreira, e há também aqueles que voltam aos estudos pelo simples fato de ter prazer em aprender, porém, a maioria retoma a educação para aperfeiçoar suas habilidades e ficar mais competitiva tanto em questões curriculares quanto no mercado de trabalho.

chefes gostam de ter uma equipe de funcionários com educação de alto nível e alguns deles apoiam o desenvolvimento de seus profissionais, ajustando a carga horária ou até bancando seus cursos.

No entanto, mesmo que haja consentimento ou suporte por parte da empresa, há algumas coisas que devem ser consideradas antes de tomar a decisão de voltar a escola.

Veja a seguir perguntas que devem ser feitas:

1) Estou motivado e comprometido?

Seja qual for a empresa, é melhor voltar aos estudos não só quando há intensa motivação, mas quando há tempo, energia e recursos necessários para se comprometer com a nova jornada. Para aqueles que não estão acostumados com a rotina de aulas, é bom diminuir a quantidade de outros compromissos para encontrar um espaço para as aulas no calendário e, dessa maneira, ser fiel às tarefas profissionais e escolares.

2) As opções foram bem analisadas?

Temos a tendência de sempre ver a educação como uma coisa ótima, afirma Laura.  Na verdade, é geralmente uma coisa boa, mas o tempo e os recursos investidos nisso têm um preço. Portanto, pergunte a si mesmo o que mais poderia ser feito que demande o mesmo tempo e dinheiro e também melhore sua vida. Começar um negócio próprio, por exemplo, é uma opção, pois pode tomar o mesmo tempo e ajudar na carreira tanto quanto os estudos. Pense em todas as opções.

3) Um diploma ou certificado vai ajudar nos objetivos profissionais?

Primeiramente, tenha claro seu objetivo na carreira e reflita se um novo diploma o ajudaria a chegar lá. Você pode facilmente dedicar seu tempo a algo que não traga o que realmente procura. Isso é um erro comum e uma situação dolorosa. Planeje bem e não caia nesse tipo de deslize.

4) Será possível balancear escola, trabalho e família?

É possível que uma pessoa já administre sua família, o trabalho de tempo integral e a vida social. Mas como achar tempo para as aulas? Essa questão é importante. Os compromissos escolares podem se tornar um estresse adicional diante de quem precisa de você. Portanto, é necessário enxergar os dois lados da moeda: o pessoal e o profissional.



0 comentários: