Projeto do curso de Enfermagem da FATE se torna exemplo positivo durante Congresso Brasileiro

Um projeto lúdico desenvolvido por estudantes de Enfermagem da Faculdade Ateneu rendeu certificado nacional e experiências inesquecíveis para cinco cearenses. Alessandra Sousa, Aline Oliveira, Iolanda Silva, Lindemberg Catunda, Maria Aglais Duarte e Meyrian Sousa voltaram do Rio de Janeiro, onde apresentaram o Grupo Alegrita durante o 65º Congresso Brasileiro de Enfermagem, com a “bagagem” cheia de informações e perspectivas para as próximas edições.

Para a coordenadora do curso, Lorena Picanço, que acompanhou o grupo, os alunos puderam perceber toda a logística de um evento nacional, onde palestras e apresentações de trabalhos científicos dos mais variados campos da Enfermagem foram destaques. O trabalho do Grupo Alegrita foi recebido de forma bastante positiva e sugestiva, pois nas avaliações o exemplo foi sugerido para outras instituições. “No evento, foi sugerido que publicássemos as vivências das atividades em periódicos de saúde com a finalidade de divulgar e incentivar outras instituições de ensino superior a seguirem o modelo do Alegrita que enfatiza a humanização em saúde desde a formação acadêmica” disse a professora.
O sentido lúdico do Alegrita fez do único trabalho cearense desta vertente chamar atenção não pela sua ludicidade, mas pela abrangência de suas ações. “Foi interessante como os visitantes observaram as ações do grupo e fizeram questão de destacar que o Alegrita tem algo a mais, pois não foca suas atividades apenas nos ambientes acadêmico e hospitalar, mas também em comunidades, casas de acolhimento e abrigos” observou a estudante Aglais Duarte.
Para Lorena Picanço, a ida ao Congresso Brasileiro ofereceu aos alunos a convivência com outros cenários, outras realidades que, somadas ao cotidiano acadêmico, se transformam em aprendizagem. “Despertou o interesse em buscar uma formação diferenciada, uma vez que a participação em evento científico-profissional favorece a oportunidade de atualização em temas recentes e relevantes do curso” disse.  Para 2014, em Belém do Pará, a expectativa da coordenadora é que mais alunos se programem para participar. “Queremos ter uma participação muito maior, uma vez que vamos iniciar produções científicas ainda neste semestre, através do tripé que compõe a formação superior que é o ensino, a pesquisa e a extensão” concluiu Lorena Picanço.
O Grupo Alegrita é formado por 24 alunos e existe há cerca de sete meses. O trabalho já beneficiou mais de 80 crianças com doações de alimentos, livros e brinquedos. O grupo, também, realiza apresentações lúdicas e visitas educativas em casas infantis de acolhimento.
Assessoria de Imprensa

0 comentários: