Pesquisas apontam reflexões sobre a participação feminina no mercado de trabalho

Amanhã, 8 de março, o mundo celebra o Dia Internacional da Mulher e com a data vem várias reflexões especialmente sobre a presença feminina no mercado de trabalho. Desde ontem, os principais jornais da cidade apontam decréscimo na taxa de ocupação feminina no mercado de trabalho.
A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) mostrou que caiu de 50,6% para 48,5% o número de mulheres empregadas na Região Metropolitana de Fortaleza, a menor taxa desde 2009. Já a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) apresentou outra análise que aponta diminuição na taxa de desemprego feminino, pois o percentual que era de 10,7% em 2012 regrediu para 9,6% em 2013.
Os dados também mostram que as mulheres passam mais tempo a procura de emprego, porém a expectativa de mudança perpassa pela qualificação profissional, quesito em que elas dão "banho" nos homens.
A pesquisa apontou que o nível de escolaridade feminino é quase o dobro do masculino, ou seja, 11,3% das mulheres possuem formação superior contra apenas 5,9% dos homens. Esses dados se confirmam no ambiente acadêmico da Faculdade Ateneu, pois segundo a Secretaria Acadêmica da Instituição, o número de mulheres cursando uma graduação é quase 65% maior que a cifra masculina, ou seja, para cada três homens existem sete mulheres estudando na Ateneu.
No campo profissional, a presença feminina no Grupo Ateneu também é marcante. Segundo o Departamento Pessoal da empresa, quase 50%, dos 470 colaboradores, são mulheres. Para o diretor Administrativo-Financeiro, prof. Dr. Rafael Rabelo Bastos, a presença feminina no mercado de trabalho é reflexo da mudança social, pois elas participam efetivamente da renda familiar, buscam formação acadêmica, com isso se qualificam e ocupam espaços, antes, dominados por homens.


Emanuel Santos
 
Assessoria de Imprensa

0 comentários: