Bolsas de Estudo: Conheça os Programas e comece a sua carreira.

As bolsas de estudo incentivadas pelo poder público têm dado a possibilidade para milhões de brasileiros de cursar uma carreira de nível superior. Recentemente, a regulamentação desses programas tem mudado significativamente, obrigando os estudantes a se informarem mais e melhor sobre como ter acesso a uma bolsa de estudos, e como continuar se beneficiando com ela.
Nos últimos anos, o método mais procurado para cursar uma faculdade gratuitamente é o de passar no vestibular em uma universidade pública ou em uma faculdade particular, se ela oferecer alguma bolsa ou desconto considerável.


Desde 2003, o Governo Federal ampliou o acesso às bolsas de estudo dentro de faculdades particulares, o que tornou essa modalidade a mais procurada pelos estudantes que optam pelas instituições mais convenientes para os seus interesses. Para se ter uma ideia, uma publicação recente no jornal Gazeta do Povo indicou que, em 2014, 26% dos estudantes matriculados nas Instituições de Ensino Superior (IES) privadas foram beneficiados pelo Fies, sendo que 74% das vagas do ensino superior são ofertadas nas instituições particulares.

Os programas de bolsa de estudo articulados pelas faculdades são variados e dirigidos a diferentes casos. O espaço virtual “Canal do Ensino” apresenta os diferentes programas e as suas particularidades.
 PROUNI

O Prouni é um programa do Governo Federal que concede bolsas de estudo totais ou parciais para alunos de renda baixa em instituições privadas de ensino superior. O Prouni Programa Universidade para Todos oferece bolsas de estudos integrais para alunos que possuam renda familiar per capita de até 1,5 salários mínimos. O programa também concede bolsas de estudos parciais para aqueles que venham de famílias que ganhem até três salários mínimos.

Quem seleciona os alunos para as bolsas de estudos é o MEC utilizando, para isso, a nota atingida no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Se sobrarem vagas, as próprias faculdades e universidades podem fazer a seleção. Estima-se que, até 2015, apenas o Prouni terá permitido a educação de mais de 10 milhões de novos profissionais com nível superior.

FIES
Criado em 1999, o Programa de Financiamento Estudantil fornece bolsa de estudos de graduação no Ensino Superior daqueles alunos não podem bancar os custos de sua formação e estejam matriculados em instituições privadas com cadastro no Programa e com avaliação positiva nos processos do MEC. Em 2005, o FIES passou a oferecer bolsas de estudo também a estudantes aprovados pelo Prouni, que pagam 50%. No ano seguinte, quase 450 mil estudantes receberam este tipo de bolsa de estudos pelo Prouni.
Uma recomendação do Ministério Público Federal e da Defensoria da União de 29 de abril determinou que os estudantes que não conseguiram uma nova inscrição no Fies não serão punidos. Assim, os alunos que não conseguiram fazer a inscrição no fundo do Fies, cujo prazo para novas adesões terminou em 30 de abril, têm o direito de concluir o semestre sem punições ou cobranças.
CNPq

Trabalhar com pesquisa científica pode levar à concessão de uma bolsa de estudos pelo CNPq (Conselho Nacional de Conhecimento Científico e Tecnológico) oferecida para desenvolvimento da ciência. Outra forma de bolsa de estudos oferecida é a prestação de serviços do aluno para a universidade, como trabalhar em algum setor dentro do campus. Dirigir o estudo para pesquisas científicas também pode render bolsas de estudo como as oferecidas pelo CNPq. A bolsa de estudos da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) também é voltada para o desenvolvimento científico, mas é oferecida apenas para alunos de pós-graduação.

Financiamento estudantil e empréstimos

Existem, nestas empresas, vários tipos de desconto nas mensalidades: bolsa-idade, bolsa-mérito (para notas boas), bolsa para funcionários e parceiros, financiamentos próprios, e outros. Logo na matrícula, as instituições avaliam qual a faixa salarial da família do aluno e o direcionam para as melhores bolsas de estudos para aquele caso. Inclusive notas boas no vestibular podem render bolsas de estudo.

Os financiamentos estudantis são recursos bastante utilizados. Consistem em empréstimos que podem ser feitos por bancos ou entidades financeiras, assim como pela própria instituição de ensino. Se a bolsa de estudo é total ou parcial, isso dependerá dos critérios da instituição que fornece. Em todos os casos, o pagamento começa a ser feito alguns anos após o término do curso, de maneira mensal. Nos Estados Unidos, este é o modelo de financiamento universitário mais comum; milhares de famílias organizam suas economias pensando em encarar um ou mais empréstimos universitários para os filhos, e os índices de inadimplência registrados são baixos.

Você, aluno, caso enquadre-se em algum dos itens aqui expostos, entre em contato com o núcleo de Admissões da Faculdade Ateneu e informe-se.

Núcleo de Admissões: (85) 34745151/ 30335184 – admissoes@fate.edu.br .

0 comentários: