Um curso inovador: Capacitação em Direitos da Sexualidade.



Perante as notáveis transformações sociais no Brasil e no mundo, e considerando as atualizações que os direitos civis têm experimentado para se adaptar a essas novas realidades, a Faculdade Ateneu oferece o curso de extensão: “Capacitação em Direitos da Sexualidade”.


O curso tem como objetivo principal possibilitar a estudantes e profissionais das mais variadas áreas do conhecimento uma preparação sobre as Identidades de Gêneros e Orientações Sexuais com enfoque nos Direitos Humanos, fomentando o diálogo de como valorizar a cidadania da comunidade LGBT dentro e fora das instituições de Ensino Superior. Conforme os anos vão passando, o número de alunos (as) pertencentes à comunidade LGBT tem crescido significativamente no âmbito acadêmico.

Essas pessoas são as travestis, homens e mulheres transexuais. Estes tem feito uma ruptura nos muros da segregação e buscado ocupar espaços que deveriam ter sido conquistados há décadas. Sobretudo, na área da educação. O número de travestis e transexuais no âmbito acadêmico cresceu de uma forma impressionante. Nos últimos anos esses homens e mulheres tem conseguido alcançar o direito de cursarem uma faculdade. Até pouco tempo atrás, era impensável ter uma aluna travesti ou transexual dentro de uma faculdade ou universidade. Tal espaço era impenetrável por esses indivíduos salvos raros casos. No entanto, com o passar dos anos, a luta por direitos por parte desses sujeitos tem mudado esse cenário fazendo com que diversas travestis e transexuais estejam cursando vestibulares e passando a fazer parte do quadro de discentes dos mais variados cursos de Ensino superior. Apesar da vitória mais que merecida, permanecem enfrentando inúmeros desafios. Ao chocar-se com essa nova realidade, acabam confrontando-se com um despreparo latente das instituições, corpos docentes, discentes e de seus funcionários em lidar com suas condições.

Pouco se avançou no que tange a compreender o que é identidade de gênero, ainda sendo constantemente confundida com homossexualidade. Além disso, tal incompreensão permanece fazendo com que o cotidiano de travestis, homens e mulheres transexuais tenha suas intimidades violadas. Os tempos mudaram e, com eles, salientou-se a necessidade indispensável e inadiável em formar profissionais habilitados para lidar com esses sujeitos e suas demandas.

Objetivamos com esse curso a desmistificação de errôneos preconceitos disseminados socialmente, conclusões precipitadas e desacertadas sobre as vivências desses indivíduos. Buscando assim a habilitação e a construção de novos olhares desses educados dos mais variados cursos e profissionais de diversos ofícios ansiando o respeito aos Direitos Humanos inerentes a todos (as), sem qualquer distinção. A construção de um saber inclusivo e igualitário no âmbito acadêmico. Objetivando uma cultura de tolerância e respeito dentro das faculdades, universidades e, fora dela, a diversidade sexual e humana buscando a não conscientização da LGBTfobia formando cidadãos, discentes e profissionais mais sensíveis a temáticas recônditas em nossa sociedade. Conforme vamos realizando o curso, constamos indiscutivelmente a sua importância como complementação na formação de alunos (as) de Graduação, de Pós-graduação e de profissionais de diversas áreas. Com destaque para as áreas humanas, sobretudo, Serviço Social, Enfermagem, Psicologia e Direito. É nítida a demanda que se faz presente. Mesmo que algumas instituições prefiram deixar assuntos como esse recôndito, muitos desses discentes e profissionais em tempo algum tiveram contato com temáticas voltadas para a sexualidade humana, apresentado uma latente fissura em sua trajetória acadêmica o que consequentemente resulta em seus exercícios profissionais.

Ao ouvir dezenas de participantes (as) de outros cursos, sua maioria explanou que antes do curso de Capacitação em Identidades de Gênero e Orientações Sexuais com enfoque nos Direitos Humanos não sabiam como tratar colegas de sala que apresentassem uma Identidade de Gênero ou Orientação Sexual diferente da que consideravam apropriadas, passando a tomar consciência que não respeitar a singularidade das pessoas é uma violação de seus direitos como ser humano. Como resultado desses eventos, constatamos que o principal desencadeador do preconceito, discriminação, segregação e violações dos direitos da comunidade LGBT é a falta de informação, de orientação e capacitação sobre essas temáticas. Ou seja, aquilo que não se conhece é repulsado. Principalmente tratando-se de segmentos de nossa sociedade que carregam sobre si estigmas históricos e que foram diluídos socialmente como verdades.



Conteúdo Programático:

• Corpo, Gênero e Sexualidade;
• Comunidade LGBT e educação: realidades e demandas;
• A educação como um direito humano: documentos jurídicos nacionais e internacionais que contemplam essas jurisprudenciais;
•Educação em Direitos Humanos. Novos olhares para uma educação inclusiva;
• Instituição escolar: espaço de democracia ou de violações de direitos humanos;
• Transfobia e Educação: é preciso educar para não violar;

A docente facilitadora:

Profa. Lucivânia Lima de Sousa: Assistente Social – CRESS: 8697. Pós-Graduanda em MBA em Docência e Metodologia do Ensino Superior e Graduanda em habilitação em Pedagogia. Docente no Instituto Plus de Educação e Inclusão Social. Palestrante, Consultora, Pesquisadora, escritora, desenvolvedora e ministrante de diversos cursos e palestras com os mais variados temas direcionados a cursos de Graduação e Pós-Graduação. Com vasta experiência na área de Identidades de Gêneros, Orientações Sexuais, Direitos Humanos, Movimentos Sociais e Representatividades. Assim como, palestras com abordam temas como autoajuda, resiliência e crescimento pessoal.

Confira mais informações e inscreva-se no site da Faculdade Ateneu.

0 comentários: